Brasil impõe jogo forte sobre a Polônia e conquista primeira vitória no Mundial

Brasil impõe jogo forte sobre a Polônia e conquista primeira vitória no Mundial

Integrante do grupo A, equipe já tem outro duelo neste domingo, contra o Japão

José Guilherme foi o melhor em quadra

Nantes (FRA) - A Seleção Masculina de Handebol deu adeus ao início ruim que teve contra a França no Campeonato Mundial e conquistou uma vitória bastante convincente sobre a Polônia neste sábado (14), em Nantes. Os primeiros dois pontos da equipe sul-americana, que integra o grupo A, vieram em consequência de uma defesa sólida e de muita atenção durante toda a partida. O placar chegou ao final em 28 a 24 (16 a 11 no primeiro tempo) e o resultado foi bastante comemorado pelos atletas. Porém, o tempo de celebrar foi bastante curto, pois eles precisam se concentrar para o próximo desafio, neste domingo (15), contra o Japão, às 17h45 (horário de Brasília), com transmissão dos canais SporTV e ESPN. 

 
O Brasil entrou em quadra com uma defesa muito bem postada, que proporcionou à equipe importantes contra-ataques desde o início. O sistema 5x1, conforme previam, funcionou muito bem contra os poloneses, desfalcados de jogadores veteranos. Os campeões pan-americanos chegaram a abrir quatro gols sem deixar a Polônia colocar a bola na rede e, a partir daí, dominaram o confronto. Com o retorno do armador e capitão Thiagus Petrus, ausente na partida de estreia contra a França, em Paris, o Brasil pôde fazer o jogo completo como está acostumado, principalmente defensivamente, e esse foi o ponto alto. 
 
A partida também contou com uma excelente atuação do goleiro Maik Santos, que permaneceu em quadra os 60 minutos. Para completar, o armador José Guilherme de Toledo, que joga no clube polonês Wisla Plock, estava em dia inspirado. Foi extremamente importante para o Brasil no ataque e terminou com a artilharia, além de ganhar o prêmio de melhor jogador da partida. Para completar, na armação direita, Haniel Lângaro teve grande atuação, principalmente nos arremessos de nove metro, marcando sete gols. 
 
Todos esses fatores funcionando juntos deram tranquilidade ao time brasileiro para conquistar a primeira vitória no Mundial, no qual tem pretensões de superar as duas últimas edições, quando chegou às oitavas de final. 
 
Com todo respeito aos adversários, mesmo tendo passado pelos poloneses em dois de três encontros recentes, inclusive nos Jogos Olímpicos do Rio, o técnico Washington Nunes, creditou a vitória à intensidade do jogo imposto pelo Brasil. "Sabíamos que íamos enfrentar uma escola de handebol muito potente e muito forte. Sem contar que eles têm um treinador excepcional e tínhamos conhecimento das dificuldades para enfrentá-los. Eles haviam perdido alguns jogadores importantes, porém, sabemos que eles conseguem jogar coletivamente bem e tínhamos que estar muito atentos. Tínhamos que entrar muito intensos hoje e estar melhores na defesa." 
 
Mesmo feliz pela vitória, Washington já tem os olhos voltados para o duelo contra os japoneses amanhã. "O Japão é uma equipe muito rápida, que treina muito durante o ano, e tem um entrosamento muito grande. Eles têm um trabalho defensivo intenso, que vamos ter que trabalhar intensamente para vencer a partida. Será um jogo muito duro", acrescentou. 
 
Maik concorda com o técnico e afirma que a determinação do grupo todo falou mais alto hoje, até porque essa partida era extremamente importante para que o Brasil continuasse o caminho em busca da classificação para a próxima fase. "Estávamos muito determinados em sair com a vitória hoje e entramos muito concentrados para aproveitar cada momento da partida. Já no primeiro tempo conseguimos imprimir um bom ritmo de jogo tanto na ataque quanto na defesa e conseguimos abrir o placar. Isso nos deu mais segurança. Conseguimos manter o nível da equipe no segundo tempo e fazer algumas ações para sair com a vitória." 
 
José Guilherme, artilheiro do confronto com oito gols, sabia muito bem em que terreno estava pisando hoje, pois joga ao lado de alguns dos adversários em seu clube na Polônia. Ele afirma que o Brasil se acertou hoje e teve, sobretudo, paciência para vencer. "O diferencial do nosso jogo foi a defesa, com o retorno do Petrus. Assim, pudemos voltar à defesa 5x1 que é um sistema bastante difícil para os europeus. Eles não estão acostumados a jogar contra 5x1. Além disso, estudamos muito, vimos vídeos e eu já jogo com alguns deles na Polônia e sei mais ou menos o que cada um faz. Assim, pude ajudar um pouco. Outro ponto chave foi que soubemos a hora de acelerar e de acalmar. Erramos, mas menos. Ganha quem erra mesmo. Nós colocamos o ritmo do jogo", finalizou. 
 
Já o técnico polonês, Talant Dujshebaev, se mostrou preocupado com o futuro da equipe para a sequência da competição, já que essa foi a segunda derrota em dois jogos. "Parabenizo a equipe do Brasil. Eles jogaram bem desde o início. Perdemos três ou quatro gols e eles tomaram o controle do jogo. Temos que trabalhar para o próximo jogo contra a Rússia", disse. 
 
Gols do Brasil - José Guilherme (8), Haniel (7), Tchê (3), Teixeira (2), João Pedro (2), Oswaldo (2), Lucas (1), Thiagus (1), Chiuffa (1) e Cleryston (1). Gols da Polônia - Paczkowski (6), Jachlewski (4), Daszek (2), Gierak (2), Tomasz Gebala (2), Dacko (1), Niewrzawa (1), Walczak (1), Moryto (1), Maciej Gebala (1), Przybyski (1), Chrapkowski (1) e Morawski (1). 
 
Jogos do Grupo A
 
Quarta-feira (11)
França 31 x 16 Brasil
 
Quinta-feira (12)
Rússia 39 x 29 Japão 
Polônia 20 x 22 Noruega
 
Sexta-feira (13)
Japão 19 x 31 França 
 
Sábado (14)
Brasil 28 x 24 Polônia 
14h45 - Noruega x Rússia 
 
Domingo (15)
14h45 - França x Noruega 
17h45 - Brasil x Japão 
 
Segunda-feira (16)
17h45 - Polônia x Rússia 
 
Terça-feira (17)
11h - Noruega x Brasil 
14h45 - Polônia x Japão 
16h45 - Rússia x França 
 
Quinta-feira (19)
11h - Rússia x Brasil 
14h45 - França x Polônia 
16h45 - Japão x Noruega 
 
Confira os resultados completos de todos os grupos no link: goo.gl/247K45
 
Seleção Brasileira
 
Goleiros - César Augusto de Almeida 'Bombom' (OIF Arendal-Noruega) e Maik Santos (AL-Rayyan-Qatar).
 
Armadores - Gabriel Ceretta Jung (FC Barcelona-Espanha), Haniel Lângaro (BM Naturhouse La Rioja-Espanha), José Guilherme de Toledo (Orlen Wisla Plock-Polônia), Oswaldo Maestro Guimarães (Anaitasuna-Espanha), Thiago Alves Ponciano (BM Ciudad Encantada-Espanha) e Thiagus Petrus Gonçalves dos Santos (Mol-Pick Szeged-Hungria). 
 
Centrais - Henrique Teixeira (CB Huesca-Espanha) e João Pedro Francisco da Silva (Chambery Savoie Handball-França).
 
Pontas - Claryston David Cordeiro Novais (ADJF/Independência Trade-MG), Fábio Chiuffa (KIF Kolding Kobenhav-Dinamarca), Guilherme Torriani (Vegus/Guarulhos-SP) e Lucas Cândido (BM Guadalajara-Espanha).
 
Pivôs - Alexandro Pozzer (Fertiberia Puerto Sagunto-Espanha) e Rogério Moraes (WC Vardar-Macedônia) .
 
Comissão técnica 
 
Técnico: Washington Nunes
Assistente técnico: Hélio Lisboa Justino
Treinador de goleiros: Diogo Castro
Preparador físico: Fernando Millaré
Fisioterapeuta: Gustavo Barbosa
Supervisor: Cássio Marques