Maringá conquista medalha de ouro do Paranaense Sub-16 no feminino

 Maringá conquista medalha de ouro do Paranaense Sub-16 no feminino

Com uma campanha brilhante, as equipes femininas da Prefeitura de Maringá/Unimed/Unifamma e do Colégio Santa Maria/Caio/Mion/Cascavel chegaram invictas na final do Campeonato Paranaense de Handebol Cadete Sub-16, realizado entre os dias 04 e 07 de junho, em Cascavel.

O ginásio de esportes Adolival Pinan (São Cristovão) recebeu no domingo (07) a partida que definiu a campeã da competição. Determinadas a voltar pra casa com o título estadual que deixaram escapar na edição 2014, as maringaenses mostraram logo no início da partida que seria difícil parar o time, abrindo boa vantagem no primeiro tempo. Sem reação, as donas da casa viam diante dos olhos as rivais dominarem o jogo. Para frear o contra-ataque adversário, o técnico Marcos Galhardo pediu tempo, chamou as pratas da casa para o jogo e o confronto ganhou outra conotação.  As meninas voltaram à quadra, imprimiram velocidade no ataque e encostaram no placar, fechando a primeira parcial em 08 a 10. Contando com o apoio da torcida, a cada bola na rede os aplausos eram instantâneos na arquibancada, motivando o elenco anfitrião a ir pra cima de Maringá, que mesmo com as investidas das donas da casa conseguiram administrar o marcador até o apito final, encerrando o confronto com a vitória por 16 a 12, resultado que colocou a Cidade Canção no topo do pódio.

Retornando ao cenário de competições após três anos sem disputar o Paranaense Sub-16, o comandante da seleção cascavelense se diz satisfeito com a evolução da equipe, que em seis jogos garantiu cinco vitórias. “Foi um jogo difícil, mas conseguimos ter uma boa atuação frente ao grupo de Maringá, que treina junto há muito tempo, contrário da nossa equipe que foi montada recentemente, ainda o time não está entrosado. Todos os jogos que disputamos, ganhamos na determinação, na vontade de vencer das meninas”, enfatizou Marcos, e acrescentou: “Nosso objetivo foi alcançado, somos a segunda melhor equipe de base do Estado e isso é muito mais do que almejávamos. A medalha de prata representa a força do handebol cascavelense no cenário estadual, resultado do trabalho desenvolvido pelos técnicos locais”, frisou.

Por sua vez, a técnica campeã Clarice Braga ressaltou o trabalho realizado pela Associação Maringaense de Esportes e agradeceu aos parceiros do projeto. “A conquista do título estadual cadete é resultado de um trabalho que temos feito há algum tempo na Associação Maringaense de Esportes, que forma a base para que possamos ter uma equipe homogênea, forte na defesa e no ataque, então, a medalha de ouro vem a coroar este trabalho. A nossa equipe é nova para a competição, formada por atletas em sua maioria com idade abaixo da categoria, mas que treinou bastante para buscar este título”, destacou Clarice, agradecendo o incentivo da Associação Maringaense de Handebol, a Prefeitura de Maringá, a Unimed e a Unifamma, parceiros do projeto, que conta ainda na comissão técnica com o auxiliar Vinícius Piffer Breschiliare.

A ponta esquerda Gabriela da Silva Oliveira Rocha foi eleita atleta destaque do jogo e terminou a competição como a 8ª artilheira, com 26 gols assinalados. A relação completa da artilharia pode ser conferida aqui.

Alto Paraná garante 3º lugar no pódio


Na decisão da medalha de bronze, Alto Paraná e Santo Antônio do Sudoeste repetiram a final da categoria sub-15 da Copa Paraná, em que a segunda equipe conquistou o 1º lugar. Depois de protagonizarem partidas brilhantes na semifinal, os dois times se encontraram para o “jogo da resseca”, em que as alto-paranaenses superaram as adversárias por 24 a 16 e garantiram o 3º lugar. “Minha equipe se superou nos contra-ataques. Deixamos Santo Antônio afunilado na posse da bola, quando vinham atacar, fazíamos com que perdessem o domínio da bola, gerando contra-ataques que facilitaram para marcar os gols necessários”, conta o técnico Marcos Belini.

Campeãs da edição 2014, o comandante da equipe afirma que a competição reúne o que há de melhor do trabalho de base no Paraná, o que aumenta cada vez mais o nível técnico dos times participantes, que muitas das vezes é um detalhe que define o placar do jogo. “Não chegamos à final porque jogamos mal, pelo contrário, foi um jogo muito disputado, equilibrado ponto a ponto, faltou o algo a mais que poderia ter definido o placar sem precisar do tiro de sete metros. Por outro lado, a competição está muito forte, com equipes jogando de igual pra igual. O placar da maioria dos jogos é prova de que o trabalho realizado no Estado está se fortalecendo cada vez mais”, ressalta Marcos, agradecendo o apoio da Prefeitura de Alto Paraná e a recepção da organização do evento.

Eleita atleta destaque da partida, Vanessa Delmondes da Silva, avalia a atuação do grupo. “Não conseguimos defender o título, mas a equipe jogou bem, vamos trabalhar pra melhorar o que erramos no decorrer da competição para que no próximo ano possamos buscar o título”, enalteceu a capitã da equipe, que também foi a artilheira da competição, com 53 gols marcados.

Estreantes no torneio estadual, a professora Leonilda da Silva destaca o excelente resultado alcançado por Santo Antônio do Sudoeste, que se despediu do campeonato entre as quatro melhores seleções de base do Paraná. “É um excelente resultado. Nosso objetivo era ficar entre as quatro, até porque essa equipe é inteira 2000, ou seja, tudo meninas de 14 e 15 anos disputando com atletas mais velhas, acredito que esta experiência dentro de quadra fez a diferença sobre elas, por serem mais novas”, analisa Leonilda, contando que no próximo ano vai voltar para brigar pelo título. “Ano que vem queremos voltar para brigar pelo 1º lugar, já que as meninas vão estar na idade certa. É uma excelente competição, muito bem organizada, por isso vamos voltar”.

Futuro Promissor
Se depender da nova geração de handebol no Estado, a modalidade ganhará cada vez mais espaço no país e terá um futuro promissor. “Essa é uma competição que os clubes têm grande interesse em participar, pois é uma faixa de idade que os professores gostam muito de trabalhar, por ser uma transição para o rendimento, em que os atletas começam a jogar na categoria juvenil, posteriormente passam para a júnior e, por fim, ingressam no adulto. É no sub-16 que tudo começa, é onde os professores encaminham os talentos da modalidade para poderem dar sequência ao esporte”, ressalta o presidente da LHPR, Richarde César Salvador, parabenizando os técnicos e atletas pelo envolvimento com o handebol paranaense. “O empenho e dedicação de vocês demonstra a força da modalidade no Estado, tenho certeza que 2015 será um ano de muito sucesso”.

Referência em sediar grandes eventos esportivos, Cascavel recepcionou mais de 600 pessoas durante a competição, que transcorreu na mais perfeita harmonia. “Dispomos de uma das melhores estruturas esportivas do Estado, trazer o Paranaense Sub-16 para Cascavel foi uma maneira de valorizar este espaço e de evidenciar a modalidade, que hoje é o segundo esporte mais praticado no município. Por outro lado, também foi uma forma de oportunizar aos atletas pratas da casa a participação em uma competição de alto nível”, destaca o organizador local, Cezar Roberto Casagrande, e acrescenta: “Nesta categoria o atleta passa por um processo de autoafirmação, em que toma a decisão de continuar ou de parar de jogar, por isso da importância de ter sediado o Paranaense Sub-16, que particularmente considero um divisor de água na vida esportiva de quem pratica handebol”, enfatiza Casagrande.  

De outra parte, o técnico da equipe feminina de Alto Paraná, Marcos Vinícius Bellini, parabeniza o envolvimento das equipes que vieram pela primeira vez na competição, destacando o trabalho desenvolvido pelos professores nas categorias de base.  “O nível da competição é muito alto, tanto é que a maioria dos resultados foram definidos em detalhes e decididos por uma bola de diferença, comprovando o quanto o handebol do Estado está forte. É uma grata satisfação ver que muitas equipes estão voltando ao cenário de competições e outras tantas participaram pela primeira vez, representando muito bem suas cidades. Você vê que há um trabalho sendo realizado, que os profissionais se empenharam para que seus atletas pudessem competir de igual pra igual com equipes tradicionais. Parabéns a todos pela participação e que nas próximas edições venham mais equipes, promovendo cada vez mais o handebol no Paraná”, declarou Bellini.

O Campeonato Pararanaense de Handebol Cadete Sub-16 é promovido pela Liga de Handebol do Paraná, e conta com o apoio da Prefeitura de Cascavel, por intermédio da Secretaria de Esporte e Lazer, da Federação Internacional de Handebol (IHF), da Confederação Brasileira de Handebol, da Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo (SEET), da Associação Paranaense de Árbitros de Handebol (APAH), do CREF9/PR, e tem o patrocínio das empresas Kagiva e Caio Eventos.

Classificação final das equipes femininas no Campeonato Paranaense de Handebol Cadete Sub-16:
1º Prefeitura de Maringá/Unimed/Unifamma
2º Colégio Santa Maria/Caio/Mion/Cascavel
3º Alto Paraná Handebol  
4º Santo Antônio do Sudoeste
5º São Miguel Iguaçu Handebol
6º Sarandi/Sejuv/LB9
7º Fecam/Ahandecam/Campo Mourão
8º Prefeitura de Toledo/ATH/APEF
9º Marilena Handebol
10º Curitiba/Smelj/EPH
11º Prefeitura de São José dos Pinhais
12º Prefeitura de Arapongas/Ahandara/Ceem
13º Paraíso do Norte Handebol
14º Prefeitura de Mandaguari
15º Matelândia Handebol
16º São Carlos do Ivaí Handebol

Assessoria de Comunicação
Texto e Fotos: Jaqueline Galvão
jaquelinefsgalvao@hotmail.com
(45) 9139-1005 / (44) 9988 6768
Skype: paranahandebol
facebook.com/paranahandebolhpr
Twitter: paranahandebol
Instagram: parana_handebol
www.paranahandebollhpr.com