Equipes vivem expectativa da final do Paranaense Juvenil Chave Ouro

Equipes vivem expectativa da final do Paranaense Juvenil Chave Ouro

As equipes finalistas da Chave Ouro do Campeonato Paranaense de Handebol Juvenil, realizado pela Liga de Handebol do Paraná, se encontram neste fim de semana no ginásio de esportes Francisco Bueno Neto (Chico Neto), em Maringá, para as disputas que definem os campeões estaduais 2015. A entrada para assistir as partidas é franca. Todos os jogos terão transmissão on-line pelo site www.paranahandebollhpr.com.

São oito seleções, quatro no masculino e quatro no feminino, em busca do título estadual da categoria sub-18. Às semifinais começam no sábado (03), a partir das 13h30, quando se enfrentam por uma vaga a grande decisão as meninas de Alto Paraná e da Prefeitura de Iporã. Na sequência, às 16 horas, as seleções juvenis terão a oportunidade de acompanhar um jogo da Liga Nacional Masculina entre os donos da casa Maringá/Unimed/UEM/Unifamma e os paulistas de Pinheiros, atuais vice-campeões brasileiros. O confronto é válido pelo grupo A.

As disputas estaduais serão retomadas às 18 horas, quando Santa Maria/Caio/Mion/Cascavel e as anfitriãs se enfrentam pela segunda vaga à final da competição feminina. À semi masculina inicia às 19h30, com o confronto entre os pratas da casa e CHC/AC5/Cascavel/Unimed. Em seguida, às 21 horas, Prefeitura de Colorado encara ATH/Toledo pela última vaga à final do torneio masculino. No domingo (04) pela manhã, com início às 09 horas, os perdedores disputam o 3º lugar. Já à tarde, a partir das 14 horas, os vencedores jogam pela medalha de ouro.

Conforme Eduardo Patrocino Lopes, técnico da equipe masculina de Maringá e um dos organizadores locais do Campeonato Paranaense, está tudo pronto para recepcionar as delegações nesta sexta-feira (02). O ginásio Chico Neto é casa do handebol no fim semana, além de ser palco das partidas, também vai alojar as equipes participantes e será sede da Comissão Central Organizadora.

De olho no título


Celeiro de grandes nomes do handebol nacional, a Cidade Canção chega à fase final com duas equipes classificadas, motivo que aumenta a responsabilidade de jogar em casa e de fazer bonito diante da torcida. “Jogar em casa considero uma vantagem, porque estamos habituados com a quadra e os pais e amigos acabam por incentivar. Ano passado tivemos a mesma situação e o resultado foi o título. Da mesma forma vamos tentar buscar este ano o título da competição, que se tornou ainda mais importante com a ausência dos Jogos da Juventude em 2015”, ressaltou Lopes, que priorizou na preparação do elenco masculino o trabalho tático ofensivo e defensivo, além de definições finais de situações específicas de jogo.

Já a técnica do time feminino, Clarice Braga, realizou alguns jogos coletivos para intensificar a preparação da equipe e disse que o fator casa pode contribuir na busca por resultados positivos. “Jogar em casa sempre é bom, você não tem o desgaste da viagem, joga perto dos seus familiares, isso contribui para o melhor desempenho das atletas. Visando nossa preparação mantemos os treinamentos e realizamos alguns coletivos”, declarou.

Atual campeã escolar, título que credenciou Alto Paraná para participar do Campeonato Brasileiro de Desporto Escolar 2015, mira mais uma vez o lugar mais alto do pódio. O técnico Marcos Bellini diz que está confiante, uma vez que a preparação do grupo à final do Estadual aconteceu com a participação da equipe na Chave Prata do Campeonato Paranaense Adulto, em que sagraram-se vice-campeãs e garantiram o acesso à Chave Ouro em 2016. “O volume de jogos das competições que participamos intensificou a preparação das atletas à final do sub-18, acredito que estão bem preparadas e focadas. As expectativas são muito boas, esperamos chegar à final e trazer este título para Alto Paraná”, almeja Bellini.

A decisão de quem avança à grande final reserva grandes emoções. “Vamos jogar respeitando sempre as adversárias, não querendo passar por cima de ninguém. Vejo à semifinal como um jogo muito difícil, porque Iporã não participou da final dos JEPs, então esta é praticamente a última competição que elas disputam, acredito que vão vir com tudo pra cima da gente, com uma força renovada, assim como nós vamos pra cima delas. São duas equipes que se conhecem, será um jogo parelho, quem fizer a melhor partida, estiver no dia mais inspirado, em um dia brilhante, vai sair vencedora da partida”, vislumbra.

Em razão de desfalques por lesões, Iporã desistiu de disputar a fase final dos Jogos Escolares do Paraná, o que possibilitou que fosse realizado com o restante do elenco um trabalho físico intenso e aprimorado a parte técnica e tática das atletas. “Acredito muito que estejam bem preparadas. Esperamos fazer um bom jogo com as duas equipes, no caso, a primeira com Alto Paraná, que sempre batemos na trave com elas, por um ou dois gols, jogamos de igual pra igual. Nossa expectativa é fazer um jogo bem calmo, porque o fator psicológico às vezes atrapalha um pouco, precisamos achar este equilíbrio pra poder buscar um bom resultado”, avaliou o comandante de Iporã, Anésio Moraes.

Depois de ficar entre as seis melhores seleções da divisão B dos Jogos Abertos, agora o time de Colorado busca a medalha dourada da divisão de elite da categoria sub-18. “A preparação se intensificou a partir de quarta-feira (30), quando retornamos dos Jogos Abertos. O grupo está bem confiante e preparado pra semifinal, se Deus quiser vamos chegar à final”, menciona o professor Diego Forza.

Chegar à 4ª etapa é uma grande conquista para o time cascavelense, que participa da competição com uma equipe dois anos mais nova que a categoria em disputa. “Foi uma surpresa a classificação, pois o time que está disputando é todo cadete. Estamos bem preparados e sabemos da nossa limitação, é um time inexperiente nessa competição, vamos jogar forte e buscar um lugar ao pódio”, adiantou o treinador Cezar Casagrande.

Diante das anfitriãs, o professor do time feminino de Cascavel, Marcos Galhardo, espera um jogo equilibrado, definido em detalhes. “Vamos buscar fazer o nosso melhor, sabemos que podemos chegar mais longe, só depende da gente. Será um jogo difícil, vamos estar jogando na casa da nossa adversária, acredito que o placar será definido por detalhes, esperamos um jogo duro, de igual pra igual”, expõe.

Depois de disputar a final do Campeonato Brasileiro Juvenil, os tolendenses ganharam volume de jogo e mais experiência, que prometem levar para a quadra como um trunfo da equipe. “Estamos bem focados nessa semifinal, pelo fato de que já jogamos contra Colorado, que nos venceu na primeira fase da competição. Estamos vindo de uma competição que nos deu muita experiência, com isso, nosso ânimo aumenta para essa decisão. Temos um grande objetivo a se realizar, por isso vamos determinados a vencer”, frisam os técnicos Mauro Ansolin (Pato) e Rodrigo Lazzaretti (Polenta).

O Campeonato Paranaense de Handebol Juvenil Sub-18 Chave Ouro é realizado pela Liga de Handebol do Paraná, e conta com o apoio da Prefeitura de Maringá, por intermédio da Secretaria de Esportes e Lazer, da Associação Maringaense de Handebol, da Federação Internacional de Handebol (IHF), da Confederação Brasileira de Handebol, da Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo (SEET), da Associação Paranaense de Árbitros de Handebol (APAH), do CREF9/PR, e tem o patrocínio das empresas Kagiva e Caio Eventos.

Liga de Handebol do Paraná
Assessoria de Comunicação
Texto e Fotos: Jaqueline Galvão
jaquelinefsgalvao@hotmail.com
(44) 3220-5750 / (45) 9139-1005
Skype: paranahandebol
facebook.com/paranahandebolhpr
Twitter: paranahandebol
Instagram: parana_handebol
www.paranahandebollhpr.com