Seleção Feminina de Handebol faz história e conquista vaga nas semifinais do Mundial da Sérvia

Seleção Feminina de Handebol faz história e conquista vaga nas semifinais do Mundial da Sérvia

Brasil se classifica para as semifinais

Belgrado (SRB) - A Seleção Feminina de Handebol conquistou um marco muito importante, nesta quarta-feira (18), em Belgrado, na Sérvia. Depois de fazer a partida mais dura do Campeonato Mundial até aqui, a equipe derrotou a forte Hungria e se classificou para as semifinais da competição pela primeira vez na história. Isso significa que o País já garantiu a melhor colocação em Mundiais de todos os tempos, já que terá a chance de, no mínimo, terminar com o quarto lugar. É impossível não descrever o confronto de hoje como uma verdadeira batalha de nervos, que terminou com a vantagem brasileira no primeiro tempo por apenas um gol (12 a 11) e que foi levada duas vezes para a prorrogação, quando a equipe conseguiu abrir dois gols e comemorar a vitória por 33 a 31. O confronto semifinal será na próxima sexta-feira, contra a Dinamarca, às 17h45 (Brasília), com transmissão ao vivo do canal Esporte Interativo.

 
O Brasil imprimiu um ritmo intenso no início da partida e com contra-ataques rápidos dominou o placar nos primeiros minutos, abrindo quatro gols de vantagem. A Hungria se acertou melhor nos ataques e conseguiu encostar, diminuindo a diferença para dois. A defesa brasileira trabalhou muito bem em grande parte do jogo, fazendo a Seleção Nacional ganhar fôlego novamente, porém, no final do primeiro tempo, as húngaras colocaram algumas bolas importantes dentro do gol, deixando o marcador com apenas um de diferença. 
 
No retorno à quadra, a concentração foi ainda mais importante para o Brasil voltar a abrir vantagem. Com um bom rodízio entre as jogadoras, a equipe conseguiu segurar a Hungria por alguns minutos, mas as adversárias também fizeram mudanças fundamentais e contaram com a boa atuação de Zsuzsanna Tomori, eleita a melhor em quadra para atrapalhar os planos das brasileiras. Na metade do segundo tempo, elas empataram e conseguiram tomar a frente, dando muito trabalho para a Seleção. O final foi dramático. Com o placar empatado, nenhuma das equipes conseguia colocar a bola no gol e a partida foi levada para a prorrogação, com dois tempos de cinco minutos. Mais uma vez com o marcador igualado, partiram para a segunda prorrogação. Só então, com uma atuação espetacular da defesa brasileira, o Brasil conseguiu fazer mais dois gols, o último pelas mãos da ponta esquerda Samira. 
 
"Não estamos somente felizes. Posso dizer que esse é um resultado histórico para o Brasil e, claro, que isso significa muito para o handebol brasileiro. Espero que isso mostre que estamos no caminho certo ara os Jogos Olímpicos. É um dia especial e um marco para o Brasil. Certamente, este grupo está colocando a bandeira do País no topo do handebol internacional", disse emocionado o técnico Morten Soubak. 
 
O dinamarquês que treina a Seleção desde 2009, credita o resultado à garra e união de toda a equipe durante o confronto. "Tenho que dar os meus parabéns para as meninas pela atitude, pela dedicação e pelo jeito que levaram o jogo, sem desistir. Estávamos jogando contra o terceiro colocado do Campeonato Europeu no ano passado. Depois do jeito que perdemos nas quartas de final no Mundial do Brasil em 2011 e nas Olimpíadas de Londres, em 2012, tivemos um resultado merecido", completou. 
 
A pivô Daniela Piedade, uma das mais experientes da Seleção, estava visivelmente emocionada por fazer parte dessa grande conquista. "É um dia muito especial. Estamos fazendo história. São anos e anos que tentamos sempre um resultado melhor. Mostramos que estamos subindo um degrau e que temos chance de subir ainda mais. Estou muito feliz. Foi um jogo muito difícil. A Hungria é muito forte. Começamos bem, depois entramos no jogo delas e conseguimos ser melhores e vencer. Foi um jogo de explodir o coração."
 
Para ela, é um presente fazer parte desse grupo, já que está em seu sexto Mundial. "Fico feliz em fazer parte dessa histórica. Ter a chance de estar na  equipe outra vez é muito importante para mim. Temos um grupo maravilhoso e se ajuda muito", revelou.
 
O técnico da Hungria, Janos Hajdu, também avaliou a partida como muito difícil e parabenizou o Brasil pela vitória. "Todas elas estavam muito bem preparadas e mereceram essa vitória. Também estou muito orgulhoso da minha equipe que jogou muito bem hoje", analisou. 
 
Gols do Brasil - Alexandra (10), Duda (6), Ana Paula (5), Samira (4), Fernanda (3), Deonise (3), Daniela (1) e Mayara (1). 
 
Tabela e resultados do grupo B
(horário de Brasília)
 
Sexta-feira (6)
Sérvia 28 x 26 Japão
 
Sábado (7)
Brasil 36 x 20 Argélia
Dinamarca 44 x 21 China
 
Domingo (8)
China 21 x 34 Brasil
Argélia 14 x 34 Sérvia
Japão 25 x 29 Dinamarca
 
Terça-feira (10)
China 27 x 33 Japão
Brasil 25 x 23 Sérvia
Dinamarca 38 x 20 Argélia
 
Quarta-feira (11)
Brasil 24 x 20 Japão
Argélia 27 x 25 China
Sérvia 23 x 22 Dinamarca
 
Sexta-feira (13)
Japão 32 x 23 Argélia
Sérvia 32 x 18 China
Dinamarca x Brasil
 
Oitavas de final
 
Domingo (15)
Alemanha 29 x 21 Angola
França 27 x 19 Japão
Polônia 31 x 29 Romênia
Dinamarca 22 x 21 Montenegro 
 
Segunda-feira (16)
Hungria 28 x 21 Espanha
Brasil 29 x 23 Holanda
Noruega 31 x 21 República Tcheca
Coreia 27 x 28 Sérvia
 
Quartas de final
Brasil 33 x 31 Hungria
Polônia 22 x 21 França
Dinamarca 31 x 28 Alemanha
Sérvia 28 x 25 Noruega
 
Semifinais
 
Sexta-feira (20)
15h - Sérvia x Polônia
17h45 -  Brasil x Dinamarca
Seleção Brasileira Feminina de Handebol
 
Goleiras - Bárbara Arenhart (Hypo Nö - Áustria) e Mayssa Pessoa (HK Dínamo Volgograd - Rússia).
 
Armadoras - Amanda Claudino de Andrade (Supergasbras/UNC/Concórdia-SC), Deonise Fachinello Cavaleiro (Hypo Nö - Áustria), Eduarda Amorim (Gyori Audi ETO - Hungria) e Karoline Helena de Souza (Team Tvis Holstebro - Dinamarca).
 
Centrais - Ana Paula Rodrigues Belo (Hypo Nö - Áustria), Deborah Hannah Pontes Nunes (Metodista/São Bernardo-SP e Mayara Fier de Moura.
 
Pontas - Alexandra Priscila do Nascimento (Hypo Nö - Áustria), Fernanda França da Silva (Hypo Nö - Áustria), Samyra Pereira da Silva Rocha (Mios Biganos Handball - França) e Mariana Costa (Team Vendyssel - Dinamarca). 
 
Pivôs - Daniela de Oliveira Piedade (Rokometni Klub Krim - Eslovênia), Elaine Gomes Barbosa (Força Atlética-GO) e Fabiana Carvalho Diniz (Hypo Nö - Áustria).
 
Comissão técnica
 
Técnico: Morten Soubak
Assistente técnico: Alex Aprile
Supervisora: Rita Orsi
Médico: Leandro Gregorut Lima
Fisioterapeuta: Marina Gonçalves Calister
Nutricionista: Júlia do Valle Bargieri
Psicóloga: Alessandra Dutra
Massoterapeuta: Aparecida da Rocha Pereira Alves