UEL sedia Jogos Paradesportivos do PR, a partir do dia 4

UEL sedia Jogos Paradesportivos do PR, a partir do dia 4

A UEL vai sediar de 4 a 9 de dezembro os Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná, que reunirá cerca de 1,2 mil atletas, dirigentes e árbitros de 20 modalidades diferentes, provenientes de 30 cidades do estado. A abertura está marcada para o próximo dia 4, a partir das 19 horas, no Ginásio João Santana, no Centro de Educação Física e Esporte (CEFE), no Campus Universitário, com a presença do governador Beto Richa, do vice-governador e Secretário Estadual de Educação do Paraná, Flávio Arns e do Secretário Estadual de Esportes, Evandro Rogério Roman. Também é esperada a presença do presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Andrews Darsus, responsável pela organização da Paralimpíada 2016, que será realizada no Rio de Janeiro, reunindo 4,2 mil atletas, de 150 países.

Os organizadores se reuniram nesta segunda-feira (26), no CEFE, para definir os detalhes de abertura e de infraestrutura. O Coordenador Estadual de Paradesporto do Paraná, Decio Roberto Calegari, explicou que todas as equipes deverão competir na UEL e pernoitar em hotéis da cidade, garantindo conforto e acessibilidade. Entre as modalidades coletivas disputadas estão basquete, bocha, handebol, futsal, vôlei, goalball, futebol de 5. As modalidades individuais são atletismo, esgrima em cadeira de rodas, golfe 7, halterofilismo, natação, parabadminton, paracanoagem, paraciclismo, tênis de mesa e xadrês.

Segundo o coordenador, Londrina foi a cidade escolhida pela larga tradição esportiva. A cidade sediou a primeira edição dos Jogos Abertos do Paraná (JAPS), em 1957, por iniciativa dos então professores Reynaldo Ramon e Oscar Dias Pimpão. A escolha da sede dos Jogos Paradesportivos foi anunciada em setembro passado, pelo próprio governador Beto Richa.

De acordo com o coordenador, as Paralimpíadas do Rio de Janeiro estão projetando nacionalmente equipes e atletas de vários estados. Essa prática esportiva é importante na recuperação física e emocional de pessoas. “O esporte adaptado é uma inspiração, onde podemos ver que nossos problemas são pequenos”, compara. Ele afirma ainda que o incentivo a esta prática representa ainda o respeito à diversidade.

Estudioso do assunto e professor de Educação Física da UEM, o coordenador é autor das regras de parahandebol, resultado de sua tese de doutorado. Nos próximos dias chegam ao Campus da UEL a equipe técnica responsáveis pela montagem do Campo de Golfe 7. Os técnicos deverão aproveitar os gramados próximos ao CEFE, fazer a medição e distribuir os buracos, que posteriormente poderão ser aproveitados para partidas oficiais.

 

Fonte: Comunicação UEL